quinta-feira, 19 de agosto de 2010

acordei sem ver a chuva...


sem escutar os pequenos pingos batendo na minha janela. Acordei sem pensar se era o amor que eu queria, sem pensar se queria o amor. Acordei por acordar, apenas para abrir os olhos, se levantar e pular no mar de tédio que era minha vida. Acordei lembrando das promessas que fiz, que foram apenas da boca pra fora. Descobri que meu sol particular tinha se tornado minha sombra, e a escuridão dela, tinha tomado conta dos meus sentidos, me fazendo sentir cega, por não ver as pegadas de neve que marquei sobre meus planos. Descobrir que tudo tinha passado, enquanto eu vivia trancada no meu mundo. Acordei e não vi as estrelas, conseqüentemente não vi as razões. Acabei por ver o fim, que eu mesmo criei, com a saudade das flores do campo que se aromatizavam junto ao topor que escolhi. Mas como um adeus, pude ver um arco-íris, se despedindo de mim, para se juntar com as estrelas cadentes, através da luz do pôr-do-sol.

Um comentário:

felix disse...

Olha... esse texto é exatamente como me sinto... mas serviu para q eu me toca-se e percebe-se q minha vida esta se passando e eu preso Obrigado.